Página inicial > Notícias > Universidade para novos negócios

Universidade para novos negócios

sexta-feira 25 de outubro de 2013

Nas duas ´ultimas reuniões sobre desenvolvimento local, realizadas em Paraty,no Rio de Janeiro, e em Criuva, na Serra Gaúcha (RS), realizadas nesta segunda quinzena de outubro com a Alampyme.BR, a proposta de criação de uma Universidade Popular de Empreendedorismo para o Desenvolvimento despertou interesse das lideranças locais e agora faz parte de suas pautas de discussão associadasa estudos sobre a criação de Grupos de Ação Local (GAL).

 

Por isso é importante retomar os desdobramentos dessa proposta, após ter sido apresentada no

II Fórum Empresarial do Mercosul - FOREMPRE. A matéria a seguir foi publicada pelo site da Secretaria de Economia Solidária e Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sesampe) do Rio Grande do Sul, após reuniões no âmbito das das articulações das MPEs.

 

Universidade para novos negócios

 

O projeto de implantação de uma Universidade Popular de Empreendedorismo para o Desenvolvimento foi um dos pontos importantes debatidos pelos integrantes da Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (SESAMPE) no âmbito das reuniões relativas ao II Fórum Empresarial do Mercosul - FOREMPRE e reuniões preparatórias para a "Cumbre Social del Mercosur".

 

O tema, proposto pela ALAMPYME, foi amplamente debatido nas reuniões realizadas em Montevidéu, Uruguai, de 9 a 12 de julho. A proposta do projeto está sendo analisada tecnicamente e propõe uma cooperação entre o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, através da Secretaria da Economia Solidária e Apoio á Micro e Pequena Empresa (SESAMPE) e a Associação Latinoamericana de Micro, Pequena e Média Empresa – ALAMPYME/Brasil, bem como com o governo federal e entidades públicas e privadas do Brasil e da Espanha; tendo recebido posicionamentos de concordância de distintas entidades que congregam as micro e pequenas empresas dos países da América Latina.

 

O secretário Maurício Dziedricki considerou, em uma primeira análise sobre o projeto, que a parceria poderá ter uma perfeita aplicabilidade junto as políticas coordenadas pela Pasta, pois está perfeitamente adequada a política de governo, com alta perspectiva de transversalidade e com foco direcionado ao desenvolvimento econômico e social da sociedade gaúcha. Conforme o texto da proposição "as universidades populares são um projeto de desenvolvimento cultural no município, voltadas para a promoção da participação social e formação continua dos cidadãos para a sua qualidade de vida".

 

O Diretor-Geral da SESAMPE, Marco Antônio Moura dos Santos, ressalta que este conceito de "universidade popular do saber" que tem sua origem na região da Extremadura, Espanha, tem por foco o empreendedorismo e o desenvolvimento econômico e social da região. Adiantou, conforme definido em Montevidéu, que os vetores desse trabalho poderão contemplar a formação para o emprego, o empreendedorismo, a pesquisa, a formação de treinadores, os grupos ativos de produção ou de participação, a educação básica de adultos e tecnologia da informação e comunicação. Acrescentou que o desafio da integração regional perpassa pelo intercâmbio com a comunidade empresarial da região e terá alto impacto nas políticas de cooperação, desenvolvimento industrial e, em especial, econômico e social. Assinalou, ainda, que o projeto proposto pela ALAMPYME, caso concretizado, contribuirá para a superação das desigualdades regionais. Informou que o projeto já tem a colaboração da IBM Brasil, da Fundação Banco do Brasil e do governo federal, através do Ministério das Relações Exteriores, bem como de outros órgãos do Estado que atuam na promoção do desenvolvimento regional.

 

Nas reuniões dos diferentes grupos de trabalhos do II Fórum efetivadas no âmbito da ’Cumbre Social del Mercosur" em que os participantes foram recebidos pelo presidente da Associação Nacional das Micro e Pequenas Empresas - ANMYPE, do Uruguai, Julio Durante, foram concretizadas as reivindicações do segmento empresarial que foram encaminhadas aos presidentes dos países integrantes dos Mercosul. O encontro serviu para avaliar temas como a situação das micro e pequenas empresas na conjuntura da América Latina; Desenvolvimento produtivo e Inclusão Social e Utilização da Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Mercosul e Cadeias de Valor Industriais e Agropecuárias.

 

Para o diretor do Departamento de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Damepp) da SESAMPE, Antônio Paim, conhecer as práticas exitosas de desenvolvimento local contribuirá para a formulação de programas de apoio a ser entregue aos presidentes dos países da região. A SESAMPE, no Rio Grande do Sul, é responsável pelas políticas de fomento e apoio às micro e empresas de pequeno porte, e responde pela gestão executiva e técnica do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Rio Grande do Sul (FOPEMEPE/RS). Assinalou que é indispensável agregar o conceito de internacionalização no âmbito das atividades desse segmento empresarial para a efetiva inserção das empresas e seus produtos no mercado mundial de negócios. Já o Secretário-técnico do FOPEMEPE/RS, Carlos Soares, que também integrou a delegação gaúcha, o II Fórum proporcionou o conhecimento de práticas exitosas, e apontou que no Rio Grande do Sul o público alvo é representado por cerca de 700 mil empresas e 170 mil Micro Empreendedor Individual (MEI), que atuam no âmbito das diretrizes do Programa Nacional de Empreendedorismo e Negócios. Apontou, ainda, que as reuniões de trabalho tiveram a presença de lideranças das micro e pequenas empresas entre elas a Associacion PYME e a Central de Entidades Empresariais - CEEM, da Argentina, a Alampyme e a CONFAGAN, da Venezuela; a Federação Paraguaia de Micro e Pequeña Empresa, do Paraguai, a Associação Nacional das Micro e Pequenas Empresas - ANMYPE, do Uruguai e a Confederação Nacional de Micro e Pequenas Empresa - CONAMPE, do Brasil.

Notícias

Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada

site criado pela