Página inicial > Start UP Brasil recebe propostas até 31 de janeiro

Start UP Brasil recebe propostas até 31 de janeiro

quinta-feira 24 de janeiro de 2013

 

Com o intuito de acelerar o desenvolvimento de empresas nascentes de base tecnológica, o programa Start UP Brasil está recebendo propostas até o dia 31 de janeiro. A iniciativa tem como objetivo dispor de ambientes propícios ao empreendedorismo de base tecnológica, alavancando a geração de bens e serviços inovadores que sejam competitivos globalmente.

O Start UP Brasil se iniciará com o foco em empresas nascentes de software e serviços de tecnologias da informação (TI), ofertará um conjunto de ações coordenadas de apoio à estas empresas, como: acesso à mentores e investidores; financiamento à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P,D&I); consultoria tecnológica e de mercado; infraestrutura; parcerias com universidades; institutos de pesquisa e incubadoras; contatos junto a grandes companhias nacionais e internacionais; e facilidades de acesso aos mercados nacional e internacional. Para mais informações clique aqui.

A ação tem como objetivo alavancar a aceleração de um número crescente de start-ups a cada ano, colocando no mercado local e internacional novos produtos e serviços inovadores, conectando as empresas de base tecnológica em contato com tendências e mercados globais, bem como construir uma parceria governo e iniciativa privada para a geração de um ecossistema favorável ao empreendedorismo de base tecnológica.

A meta do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCT&I) é acelerar 150 start-ups de software e serviços de TI até 2014, sendo até 25% delas internacionais.

Como funciona o programa

O Programa Start UP Brasil tem o objetivo de agregar o conjunto de atores e instituições - e seus respectivos programas e ações - em prol do empreendedorismo de base tecnológica. Desta maneira os esforços hoje dispersos serão canalizados, gerando um pipe-line de projetos orientados desde a sua fase de concepção até os limites de mercado.?Cada edição do Programa - estão previstas 3 edições entre 2013 e 2016 - será desenvolvida em biênios, seguindo as seguintes fases:

Primeira fase

Nesta fase serão selecionadas, por meio de edital específico, aceleradoras de empresas, que serão as instituições responsáveis pelo processo de aceleração das start-ups, sendo a aceleração de start-ups, o processo, muito rápido, de desenvolvimento de um produto/serviço direcionado ao mercado, envolvendo o suporte de mentores, capitalistas de risco, pesquisa e desenvolvimento, envolvimento de pesquisadores universitários, entre outros recursos.

Segunda fase

Após a primeira fase, haverá um processo seletivo global de escolha de start-ups (micro empresas de base tecnológica), do Brasil e do Mundo - lembrando que até 25% dos projetos aprovados podem ser estrangeiros.

Terceira fase

Nesta fase que se inicia a aceleração. Ou seja, as start-ups selecionadas receberão apoio para a realização de seus projetos de P&D e vão para a infraestrutura das aceleradoras participarem do processo completo para fechar o processo de inovação (P&D + Gestão + Mercado + Funding) em um processo que durará de 6 a 12 meses.

Fonte: Agência MCTI

 

 

Notícias

Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada

site criado pela