Página inicial > “Desenvolvimento sustentável passa por cidades sustentáveis”, afirma (...)

“Desenvolvimento sustentável passa por cidades sustentáveis”, afirma Dilma

quinta-feira 25 de abril de 2013

A presidente Dilma Rousseff afirmou na noite de terça-feira (23), em discurso durante o II Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável – Desafios dos Novos Governantes Locais, que é necessário a participação dos prefeitos do País para o objetivo do evento.

“O Desenvolvimento Sustentáveis passa por cidades sustentáveis”, destacou à presidente, numa referência à parceria firmada antes do discurso dela, entre a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), promotora do encontro, e o Conselho Internacional para Iniciativas Ambientais Locais para a Sustentabilidade (Iclei, na sigla em inglês).

O projeto consiste na execução de “estratégias de desenvolvimento urbano de baixa emissão de carbono”, implementado pela Organização das Nações Unidas (ONU) Habitat em parceria com o ICLEI e financiado pela União Europeia.

“De forma alguma podemos admitir que a miséria seja sustentável, assim como o desmatamento, assim como matrizes energéticas baseadas apenas em combustíveis fósseis”, acrescentou.

A assinatura da parceria conta com a participação das duas instituições com as cidades modelos de Fortaleza (CE) e Recife (PE), e as cidades satélites do projeto, Belo Horizonte (MG), Betim (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ) e Sorocaba (SP). .

Os assinantes do memorando ratificando a parceria foram os presidentes da FNP e da ICLEI, respectivamente João Coser e Pedro Jacobi, e os prefeitos de Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS), Marcio Lacerda e José Fortunati.

“Não é possível construir o novo e descontruir o meio ambiente”, afirmou a presidente. “A riqueza de hoje é a base da riqueza do futuro e das gerações futuras. Sustentabilidade é um conceito que caminha junto com a inclusão social, produtiva e cidadã”

Citou que governos e prefeituras têm feito “profícua parceria” em ações que têm a ver com a sustentabilidade. referindo-se às contribuições das prefeituras no cadastramento dos beneficiários do programa Bolsa Família, uma das principais ações de distribuição de renda do governo.

Antes dela, o presidente da Frente Nacional de Prefeito, João Coser, afirmou que o evento prioriza o desenvolvimento sustentável com a melhor distribuição de renda por meio da promoção dos pequenos. Ele se referiu às parcerias firmadas com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

País precisa ser competitivo

No discurso abertura do II Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável – Desafios dos Novos Governantes Locais, promovido pela Frente Nacional de Prefeitos, Dilma afirmou que o país precisa crescer “num ritmo acelerado”.

“Este país tem de crescer acelerado. Para ele crescer acelerado, ele tem que ser competitivo. Daí porque fizemos um grande esforço, do início do governo até hoje. Primeiro, nós reduzimos os juros brasileiros para patamares aceitáveis. Reduzir os juros para patamares menores não significa que ele não suba e não desça, não suba e não desça. Ele vai continuar subindo e descendo, mas ele vai fazer isso num nível mais adequado para os padrões internacionais e portanto mais competitivo”, declarou.

A presidente também defendeu o controle da inflação e pediu aos prefeitos uma “gestão eficiente”. Isso porque, na avaliação delaa, nenhum país do mundo virou um país desenvolvido sem que se tornasse “crescentemente mais eficiente”. “Temos que ter prazo porque não se faz gestão sem prazo”.

A presidente disse que é “obrigação” do Estado ajudar os municípios a manter seus programas sociais, mas disse que precisa cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e garantir que a inflação “esteja sob controle”.

“Eu cumpro a Lei de Responsabilidade Fiscal e garanto que as contas fiscais brasileiras sejam estáveis. Eu tenho de garantir também que a inflação neste país esteja sob controle. Então eu tenho um orçamento dado e regras bem claras. Não posso criar despesa sem apontar receita, e isso cria para o governo federal regras bem claras de gestão dos recursos públicos”, declarou.

Em outro momento do discurso, Dilma assinalou a desoneração da folha de pagamentos de diversos setores. Isso ajudou o País a ter tem um dos menores níveis de desemprego do mundo, atualmente em 5,7%.

“Esse menor nível de desemprego no mundo permite também que nos tenhamos junto o controle da inflação, o fato de termos um país fiscalmente estável”, destacou a presidente.

Fonte: Portal Desenvolvimento

Notícias

Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada

site criado pela