Página inicial > Notícias > Agências públicas se juntam na América Latina

Agências públicas se juntam na América Latina

sexta-feira 9 de agosto de 2013

 

A União Latino-Americana de Agências de Notícias (Ulan) divulgou hoje (2) informe que ressalta a importância da comunicação pública e da democratização da mídia. O documento destaca também as conquistas políticas e econômicas que têm contribuído para o desenvolvimento da América Latina.

No informe, a Ulan cita como conquista a Lei Orgânica de Comunicação do Equador, que redistribui o total das licenças midiáticas no país. A lei entrou em vigor no mês passado, depois de aprovada no Parlamento e ratificada pelo presidente Rafael Correa. No Equador, mais de 90% das frequências de radiodifusão estão com a iniciativa privada. A lei estabelece que 34% das frequências sejam destinadas a meios comunitários, 33% a meios públicos e 33% a meios privados.

O documento diz que a lei equatoriana, somada à Lei de Serviços de Comunicação Audiovisual, conhecida como Lei de Meios, da Argentina – que estabelece a democratização do espectro audiovisual – deve servir de exemplo aos demais países da região.

A Ulan destaca ainda a importância do portal de notícias que será lançado conjuntamente pelas agências, com o nome de Agencias de Noticias del Sur (Ansur). O portal reunirá a produção das agências que participam da Ulan. “Não devemos nos acostumar a que os países da América Latina continuam informando-se por agências de notícias de outras regiões”, diz o informe.

Questões políticas, como a eleição de Horacio Cartes para a Presidência do Paraguai, após a deposição de Fernando Lugo, também foram abordadas pela Ulan, que a considerou um fato positivo. A instituição também homenageou o presidente venezuelano Hugo Chavez, que morreu em março, destacando seu papel na promoção da solidariedade entre os latino-americanos e de organismos internacionais como a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

Os representantes das dez agências públicas que integram a Ulan estão reunidos em Brasília, na quarta reunião do Conselho Executivo da entidade, no Espaço Cultural da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

A Ulan surgiu em 2010, quando representantes das agências de notícias públicas da América Latina se reuniram em Buenos Aires para construir um bloco regional de produção informativa. No encontro, representantes de agências de nove países, incluindo a agência brasileira, assinaram carta que deu origem ao grupo de trabalho responsável pela estruturação do organismo. A Ulan foi criada oficialmente nos dias 2 e 3 de junho de 2011, em reunião na cidade de Caracas.

Fazem parte da Ulan: Agência Brasil, da EBC; Agência de Notícias da República Argentina (Telam); Agência Boliviana de Informação (ABI); Prensa Latina, de Cuba; Agência Pública de Notícias de Equador (Andes); Agência Guatemalteca de Notícias (AGN); da Agência de Notícias do Estado Mexicano (Notimex); Agência de Informação Pública do Paraguai (IPParaguay); Agência Venezuelana de Notícias (AVN); e Agência Peruana de Notícias (Andina). (Por Agência Brasil).

Notícias

Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada

site criado pela